sexta-feira, 25 de Março de 2011

Comunidade Virtual.

"Segundo Howard Rheingold, as comunidades virtuais são agregações sociais que emergem da Rede quando existe um número suficiente de pessoas, em discussões suficientemente longas, com suficientes emoções humanas, para formar teias de relações pessoais em ambientes virtuais, alterando de algum modo o Eu dos que nele participam. A possibilidade da comunidade virtual vem da intersecção de três tecnologias: o computador, o telefone e o software conhecido como internet - que é, na realidade, o sistema operativo para a rede telefónica digitalizada. O telefone providencia comunicações em dois sentidos e uma infraestrutura para ligar globalmente; o computador digitaliza e armazena informação, e providencia um interface ao utilizador; a internet permite aos computadores utilizarem o sistema telefónico. À medida que o sistema telefónico se torna também digital, links de grande largura de banda estão também acessíveis por todo o lado, aumentando o potencial deste novo híbrido tecnológico.

O termo comunidade virtual sugere aparentemente comunidades que só existem no ciberespaço. Mas implica, mais exactamente, uma nova forma de ligação que passa a existir no meio de, ou entre, comunidades no espaço real, biológico, ligando-as e estendendo-as, trazendo mesmo novas comunidades reais para o seu contacto. É um alargamento da comunidade pela adição de um novo espaço de interacção, espaço virtual onde fluxos expandidos de relações solidárias podem ser criados. É um curto passo a fusão do espaço mental de indivíduos de um modo que expande o próprio conceito de comunidade.
Mas que futuro terá esta comunidade?" in citi.pt

Pessoalmente, creio que o futuro deste conceito de comunidade virtual está cada vez mais em voga e principalmente com propspecção de evoluir e subsistir. As pessoas hoje são também produtoras de conteúdos e há uma maior necessidade de partilha, isso verificasse pela necessidade de exprimirem informações relevantes, às mais vagas, apenas e só pela partilha e pelo espírito de comunidade que está impresso na actualidade, em todas as redes sociais. Os utilizadores pretendem manter e fabricar novas relações e novos tipos de relações, tal como expressarem-se, desabafarem, partilhar truques, dicas, dar conselhos e entreterem-se em grupo, mas de forma individual... 

Há que ter em conta que nem sempre estas relações são fiáveis e os laços que se criam são extremamente voláteis e frágeis, um simples clique pode terminar com o contacto com a outra pessoa, sem que exista qualquer sentimento de culpa do lado de quem pratica a acção.  No mundo real, concerteza que as relações não se podem nem se devem construir nesta base, no entanto, se soubermos utilizar os meios existentes temos tudo a ganhar, não só nos cultivamos, como conhecemos novas pessoas, novas realidades, novos conceitos e até nos mostramos ao mundo.

Para ler mais acerca do tema: Virtuais comunidades

Sem comentários:

Enviar um comentário